Category

Urugaui

Chegamos no Uruguai!

By | Urugaui | One Comment

Saímos de Alegrete no meio da manhã rumo a Salto, no Uruguai. A passada pela aduana de barra do Quaraí foi muito tranquila e fomos muito bem atendidos. Depois seguimos em estradas uruguaias por  cerca de 3 horas, as estradas federais estavam muito boas e com pouco movimento. As ruas da cidade estavam mais precárias e com bastante buracos. O Uruguai diferente do Brasil não tem horário de verão, então quando chegamos atrasamos nossos relógios por uma hora.

Na chegada fomos logo atrás do centro da cidade para procurar uma casa de câmbio e um lugar para almoçar, e encontramos o centro da cidade de 150 mil habitantes fechado, estávamos achando que era algum feriado, porém mais tarde nos informaram que o centro fecha ao meio dia e retorna as 15:00 em função do calor que faz na cidade. E de fato faz muito calor. Os bancos e casas de câmbio estavam abertos, mas muitos restaurantes estavam fechados, então fomos a um mercado procurar algo para almoçarmos.

Depois de trocar um pouco de dinheiro e devidamente alimentados, seguimos para as termas de Dayman. Salto tem muitos parques com águas termais que foram descobertas em meados da década de 40 quando se furava o solo atrás de petróleo. Não acharam petróleo, mas acharam água, e água quente! Nos haviam indicado Dayman e foi neste que resolvemos nos refrescar dos 36 graus que fazia.

O parque está a 4 km da cidade, e a entrada custa $280. Eles aceitam reais também, e pela coração do dia, sairiam 38 reais por pessoas, eles também aceitam cartão de credito. O parque é bem grande, com várias piscinas, todas relativamente rasas, tobogãs, hidromassagem, foi uma tarde incrivelmente agradável. O parque tem wifi, com pouco alcance , e lockers que saem por $50, o parque abre as 9:00 e fecha as 18:30, E sim, a água é quentinha, queremos muito voltar no inverno.

Nos indicaram mais tarde, as termas Parque del Sol, que é uma fazenda com animais nativos, passaros e com termas um pouco mais rústicas, sem tanta intervenção e montagem, a entrada é $100 e fica cerca de 12km da cidade.

Depois de uma tarde super relaxante, fomos para a cidade novamente; como havíamos combinado com nossa host que chegaríamos as 20:30, saímos das águas e fomos para o shopping da cidade, que também é a rodoviária. Chegando próximo do horário combinado fomos para a casa da nossa host, Luján. Fomos incrivelmente bem recebidos, por Luján e por duas hóspedes viajantes argentinas que ela também estava recebendo. Conversamos muito no pátio da casa, com os pés na grama e com muitas estrelas no céu. Luján também é uma viajante quando pode e ficamos muito felizes em poder compartilhar histórias com ela. Las chicas argentina prepararam uma pizza e ficamos todos conversando e tomando um suco de pomelo na grana. Depois de tanta coisa boa, atualizamos nossas redes sociais e fomos durmir.

Já no dia 21, acordamos, começamos a organizar nossas coisas, fizemos um chimarrão, batemos mais um papo com Luján, que estava com seu neto, e depois partimos. Na saída da cidade resolvemos parar para gastar nosso poucos pesos uruguaios antes de sair rumo a Argentina. Paramos em uma venda, muito parecida com uma fruteira e compramos uma pizza e um pouco de mortadela que estava muuuuuito gostosa. As pizzas no Uruguai são com uma massa grossa (tipo a massa pan da pizza hut) com molho de tomate e um pouco de queijo. Mas a massa tem um sabor muito diferente, em função da farinha uruguaia.

Depois de comer fomos para a Usina Hidroelétrica de Salto Grande, a usina fica na divisa entre Uruguai e Argentina, e a ponte de divisa entre os dois países pelo rio Uruguai é na própria usina. Há visitação gratuita e guiada do lado uruguaio das 7:00 as 16:00, dura cerca de 40 min. Vale a pena para quem for cruzar por aí fazer a visita. A hidroelétrica além da barragem tem campos de energia solar e abastece 60%da energia consumida no Uruguai e 7% a da Argentina. O Uruguai é tão auto-suficiente em energia que vende energia elétrica ao Brasil.

Depois da visita seguimos para a aduana, que foi muito tranquila, as estradas argentina são boas e variam bastante de velocidade, com trechos que vão de 60 a 120 km por hora. No fim do dia chegamos em Santa Fé.

foto 1 (1)  Salto-UR-2  Salto-UR-1Salto-UR-4   Salto-UR-3    Salto-UR-5    Salto-UR-6foto 3 foto 4 (1)